Adote uma caneca no trabalho!

Apenas 4% do lixo é reciclado no Brasil.
Dentre os principais resíduos sólidos observados na composição do lixo urbano brasileiro, os copos descartáveis ocupam posição de destaque.
NO BRASIL, ESTIMA-SE QUE CONSUMIMOS DIARIAMENTE CERCA DE 720 MILHÕES DE COPOS DE PLÁSTICO DESCARTÁVEIS!
Isso mesmo, você leu certo, diariamente!
E somado a isso, um copinho plástico leva até 400 anos pra se decompor. É um desastre ambiental anunciado.
COPINHOS DESCARTÁVEIS? DESCARTE ESSA IDEIA.
  • Os copos descartáveis são um grande problema para o meio ambiente. O poliestireno é considerado uma matéria-prima barata, portanto, no que tange ao aspecto comercial, sua reciclagem não se apresenta economicamente viável. Esse material é produzido a partir de processos químicos no petróleo, que é uma fonte não renovável, poluente, e que implica grande impacto ambiental.

  • Além disso, uma pesquisa feita pelo Instituto de Química da Universidade Federal da Bahia (UFBA) apontou que os copos descartáveis feitos a partir de poliestireno (PS), quando em contato com substância quente (café ou chá, por exemplo), podem liberar estireno em quantidade acima da considerada segura pelo Ministério da Saúde.

  • Outro fator considerado é do consumo da água para a produção deste produto, que segundo reportagem do G1-Globo, é de 500 ml de água por copo. Enquanto a lavagem de uma caneca ou copo na pia utiliza 400 ml, como estimou a Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP).

Pode-se considerar também que, se destinado de maneira inadequada, além de contaminar o solo, pode contaminar cursos d’água, chegando aos oceanos, onde se transforma em microplásticos, provocando mortalidade e alterações no equilíbrio da vida marinha.
CANECAS.NET - 16 ANOS
Copinhos descartáveis? Descarte essa ideia.

Feitas em fornos a 780 graus, nossas canecas são totalmente resistentes a microondas e lava-louças.

Imprimimos os nomes de cada colaborador na borda das canecas.

Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados